Vanessa Tobias: aprendendo com as crises de ansiedade e pânico

Vanessa Tobias: aprendendo com as crises de ansiedade e pânico

 

IMG-20180512-WA0015

Em 2013, exatamente uma semana depois do falecimento do meu irmão, tinha já agendado uma palestra para um grupo empresarial de 300 pessoas, no Rio de Janeiro. Não cancelei a palestra e não cancelaria. Naquela noite estava no hotel dormindo, quando a janela fez um barulho e a cortina balançou – na hora estava sonhando com meu irmão e achei que ia ver um fantasma na minha frente se eu abrisse os olhos. Abri um dos olhos, e tive a certeza de que ele estava lá. Me cobri com o lençol e comecei a rezar alto, com medo de que alguma coisa acontecesse. Meu peito ficou apertado e se a cama não fosse box, acredite que seria debaixo dela que eu me esconderia.

No último ano tenho recebido muitos contatos e clientes que foram diagnosticados com crises de ansiedade e de pânico. Comecei a me interessar pelo assunto, procurando observar as coincidências dentro do quadro, e me lembrei nitidamente daquela noite. Se eu abrisse meus olhos e fosse meu irmão: qual seria, realmente, a ameaça? Eu convivi com ele 30 anos… o que teria mudado nele e em nosso relacionamento agora que ele morreu? Eu não sei.

>>> Confira a coluna COMPLETA! 

1 Comentário

  1. Eu convivi muito com crises de pânico, tinha várias por dia, e o que posso falar é que sobrevivi e hoje meu depoimento é para as pessoas que tem isso, que um dia as crises passarão, e a vida pode voltar a quase ser normal novamente. Porque ainda fica o medo, mas este temos que superar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Top